Plano de saúde ideal para seu orçamento: como encontrar

plano de saúde ideal para seu orçamento

como encontrar o plano de saúde ideal para seu orçamento

Uma dúvida que muitas pessoas têm é “como encontrar o plano de saúde ideal?”. De antemão, essa não é uma tarefa tão complexa quanto parece, entretanto demanda muita atenção para evitar problemas posteriores.

A vida é o bem mais precioso de uma pessoa, e a saúde é algo fundamental para vida, uma vez que problemas de saúde prejudicam a qualidade de vida do indivíduo, podendo até levá-lo ao óbito.

E para cuidar desse bem tão precioso, a vida, muitas pessoas têm recorrido aos planos de saúde e seus benefícios. Este por sua vez, é uma alternativa ao atendimento médico público, oferecido pelo SUS (e que muitas vezes leva muito tempo para o paciente conseguir agendar consultas, fazer exames, cirurgias, etc.), e ao atendimento particular (o que costuma ser muito caro).

Escolhendo um plano de saúde ideal

Atualmente, o Brasil conta com mais 1.300 operadoras de planos de saúde, e com tantas opções, fica difícil decidir qual contratar.

Na hora de escolher seu plano de saúde, existem diversos fatores que você precisará levar em consideração, para que dessa forma encontre o plano ideal para suas necessidades e por um preço que seja compatível com seu orçamento.

Definir suas necessidades

A primeira coisa a fazer quando se pretende contratar um plano de saúde é definir suas necessidades, pois dessa forma você saberá quais características o plano ideal para você deverá ter.

Se você é jovem e saudável, planos de saúde mais básicos atendem sua necessidade, entretanto conforme a idade avança (principalmente após os 50 anos), as pessoas ficam mais vulneráveis às doenças e outras complicações na saúde, e por isso são indicados planos mais completos, com cobertura de internações, cirurgias, etc.

Para quem pensa em engravidar, um plano de saúde de atenda as necessidades da mãe e do bebê é fundamental. Também é importante que o plano escolhido seja com obstetrícia, para garantir o parto da mãe, além de todo o pré-natal, seja coberto pelo convênio.

Pesquisar operadoras

A próxima etapa é pesquisar as operadoras a fim de encontrar um plano de saúde que atenda suas necessidades. Nessa fase, é ideal contar com o apoio de um consultor de seguros. A Rumo Saúde é uma empresa especialista nesse segmento, e conta com uma equipe de profissionais extremamente capacitados, que te ajudarão encontrar a melhor operadora e o plano de saúde ideal para suas necessidades e para seu orçamento.

Rede referenciada

Um ponto muito importante e que é preciso ser levado em consideração é tamanho da cobertura da rede referenciada. Existem planos em que a cobertura é regional, outros em que é estadual e, até mesmo, plano em que a cobertura é nacional.

Na hora de contratar um plano de saúde é preciso estar ciente de qual tamanho da rede referenciada é mais importante para você. Se você viaja muito, por exemplo, seria interessante poder ser atendido onde quer que esteja.

Existem outros fatores, também importantes, que precisam ser levados em consideração na hora de escolher seu plano de saúde:

  1. Períodos de carência
  2. Ranking da operadora na ANS
  3. Avaliações de clientes
  4. Agilidade no atendimento

Para facilitar sua vida e escolher seu plano de saúde de forma assertiva, ideal para suas necessidades e orçamento, conte a Rumo Saúde!

Nascemos filhos, mas nos tornamos pais de nossos pais

Os primeiros e mais importantes heróis para uma criança são seus pais. Para os filhos, eles são considerados invencíveis, possuem super-poderes e estão sempre preparados para os proteger de todas adversidades, fazendo-os se sentirem seguros e amados.

Mesmo vivendo em casas separadas, os pais estão sempre presentes na vida dos filhos. Eles geralmente são seus modelos, suas principais referências, estas que acompanharão os filhos durante toda sua vida, ajudando-os a superar todos os desafios que encontrar em seu caminho.

Na vida adulta, a relação dos filhos com seus pais se mantém. Eles continuam sendo seu porto-seguro, onde podem buscar auxílio a qualquer momento, pedir conselhos, receber um cafuné e ser consolado, etc. Os filhos esperam que seus pais estejam sempre lá, prontos para recebê-los de braços abertos, com todo o amor e carinho que sempre demonstraram.

Mas o <a href=”http://blog.rumosaudeseguros.com.br/2-aliados-para-um-envelhecimento-saudavel/”><strong>envelhecimento de nossos pais</strong></a> é inevitável, e ele traz algumas limitações para o idoso, que vão se agravando com o passar o tempo: esquecimentos, dificuldade de concentração, diminuição do vigor físico, dificuldades de locomoção, problemas na visão e audição, desenvolvimento ou agravamento de doenças, entre outros problemas.

Em algum momento da vida, para alguns mais cedo e outros mais tarde, as pessoas terão a possibilidade de cuidar e retribuir parte do carinho dedicado por seus pais. É a oportunidade dos filhos de servi-los, demonstrando todo seu amor e gratidão por tudo que seus pais já fizeram por eles.
<h2><em>Nascemos filhos, mas nos tornamos pais de nossos pais</em></h2>
Por mais irônico que possa parecer, iniciamos nossa jornada sendo dependentes de nossos pais e a terminamos sendo dependentes dos nossos filhos: nós <strong>nascemos filhos</strong>, em algum momento da vida nos tornamos <strong>pais de nossos pais</strong> e finalizamos nos tornando <strong>filhos de nossos filhos</strong>.

Mas quando chega o momento em que os papéis se invertem, onde os filhos viram pais e os pais filhos, será que ambos estão preparados? Como será que ambos lidam com essa situação?

Por mais que as pessoas já saibam que isso um dia acontecerá, as pessoas nunca estão preparadas para essa situação, e a ficha só cai quando a água já está na altura do pescoço, ou seja, quando chega o momento de os papéis se inverterem.

Não existe uma receita para lidar com essa situação, terá que aprender e superar as dificuldades no dia-a-dia. Comece por aceitar que as coisas mudaram, que a relação entre você e seus pais atingiu um novo nível, o qual gera novas responsabilidades e demanda uma nova postura. Nessa fase, os pais podem se tornar teimosos e argumentadores, por isso, controlar suas expectativas é fundamental para evitar frustrações. Não faça tudo sozinho, se tiver irmãos, divida as responsabilidades e tomem as decisões em conjunto; ajuda externa de pessoas próximas também é válido, pois traz uma outra visão da situação que talvez você não teria.

Cuidar de você, da sua <strong>saúde física e <a href=”http://blog.rumosaudeseguros.com.br/4-doencas-psicologicas-mais-comuns-na-terceira-idade/”>mental</a></strong>, também é de extrema importância. Como poderá cuidar de seus pais se você não estiver bem? Tenha um <a href=”http://blog.rumosaudeseguros.com.br/vantagens-de-contratar-plano-de-saude-para-idosos/”>bom plano de saúde</a>, faça visitas de rotina ao seu médico, alimente-se bem e de forma saudável, pratique atividade física, durma bem, dedique tempo para relaxar e para se divertir com familiares e amigos.

Gestante sem plano de saúde? 3 problemas que poderá enfrentar

gestante e sem plano de saúde 3 problemas que enfrentará

Nos dias de hoje, ter um plano de saúde não é um motivo de ostentação ou de querer exclusividade, se tornou uma real necessidade para a população brasileira, principalmente nas metrópoles, onde o acesso ao atendimento médico público é dificultado devido a grande demanda de pessoas buscando atendimento.

O SUS, Sistema Único de Saúde, que é um dos maiores sistemas públicos de saúde de todo o globo e foi concebido com o grande objetivo de oferecer acesso gratuito a serviços de saúde à população brasileira, já não é suficiente para atender toda essa demanda. Faltam  hospitais; UBS’s (Unidades Básicas de Saúde); equipamentos para exames,  tratamentos, procedimentos cirúrgicos, etc.

Como alternativa aos serviços médicos públicos, prestados pelo SUS, há as seguintes opções: atendimento particular ou via plano de saúde.

O atendimento particular costuma ter custos muito elevados, e por isso, acaba sendo inviável para muitas pessoas, as quais não possuem condições financeiras para arcar com essas despesas.

Para as pessoas que buscam mais segurança e tranquilidade na hora de cuidar da sua saúde (seja através de consultas de rotina ou mesmo a realização de intervenções cirúrgicas), não querem enfrentar as longas filas ou até esperar meses para ser atendido pelo SUS, e ao mesmo tempo querem pagar um valor justo e mais acessível por esse atendimento, a opção mais viável é o plano de saúde, seja ele corporativo ou individual/familiar.

Para as gestantes, ter um plano de saúde é algo imprescindível. Leia abaixo e entenda as razões.

5 problemas que as gestantes podem enfrentar sem um plano de saúde

  1. Atendimento por médicos diferentes

O mais indicado é que todo o pré-natal seja feito pelo mesmo médico, para que este possa acompanhar a gravidez do início ao fim. Dessa forma o médico conhece melhor a gestante, seu quadro, e poderá cuidar melhor de sua gestação.

Infelizmente, no atendimento público do SUS, nem sempre é possível se consultar com o mesmo médico, diferente do plano saúde, que permite a gestante fazer todo o pré-natal com um único médico.

  1. Falta de segurança e estresse

Depender do atendimento médico do SUS passa insegurança para muitas gestantes e é motivo de estresse, pelas dificuldades encontradas para se fazer um bom pré-natal. São visitas frequentes ao médico e diversos exames a serem realizados, que poderiam sofrer atraso devido a demanda que o SUS tem que lidar.

Infelizmente, o excesso de preocupação e estresse são prejudiciais à saúde da gestante e do bebê.

E esse é outro diferencial dos planos de saúde, pois transmitem segurança e tranquilidade para a gestante, que conta com acompanhamento médico durante toda a gestação, não precisando se preocupar com isso.

  1. Falta de cobertura para o bebê

Todos os recém-nascidos gozam do direito de receber atendimento médico gratuito através do SUS, mas ao mesmo tempo, ficam suscetíveis à todas as limitações que o sistema oferece.

Os recém-nascidos, cujas mães possuem plano de saúde com obstetrícia e com períodos de carência cumpridos, têm o benefício de poder utilizar o convênio da mãe durante seus primeiros 30 dias de vida, dentro desse período, a criança pode ser adicionada no plano da mãe como dependente e não precisa cumprir a carência.

Você que está gestante ou se sua mulher está grávida, não hesite em adquirir um plano para proteger essas duas vidas.

 

Hidratação na terceira idade: 6 pontos relevantes

hidratação na terceira idade

A água é algo extremamente importante para a vida, não apenas dos seres humanos, mas de todos os seres vivos (animais e vegetais). Nesse artigo falaremos de alguns pontos importantes a relação entre o consumo de água e saúde na terceira idade.

Constantemente ouvimos falar sobre a importância do consumo de água para a saúde, que precisamos ingerir uma determinada quantidade de água diariamente, mas mesmo assim muitas pessoas ainda não sabem quais as funções que a água exerce no organismo e, consequentemente, sua real importância e benefícios que o consumo correto trará para a saúde.

Na velhice, tudo que está relacionado à saúde do idoso merece atenção redobrada, e assim deve ser com a consumo diário de água. A necessidade de ingestão de d’água das pessoas idosos é semelhante a dos adultos jovens, mas a quantidade ingerida por eles na maioria das vezes é inferior.

6 pontos importantes da hidratação na terceira idade

1- Funções da água no organismo

  • Melhora o funcionamento do intestino;
  • Diminuir o risco de infarto;
  • Equilia a temperatura do corpo;
  • Compõe as articulações;
  • Regula a pressão arterial;
  • Compõe o plasma sanguíneo;
  • Controla a pressão sanguínea;
  • Limpa e desintoxica o organismo;
  • Melhora o funcionamento dos rins;
  • Transporta as vitaminas hidrossolúveis;
  • Transporte de nutrientes para as células;
  • Aumentar a resistência física e
  • Mantém a pele mais lisa e uniforme.

2- Percentual de Hidratação

Durante a gestação, o corpo é 100% composto por líquido, ao nascer, o corpo dos bebês apresenta 90% de hidratação; na adolescência esse percentual cai para aproximadamente 70%; já o nível corporal de hidratação na terceira idade fica em torno de 60% e na velhice, 50%.

3- Sentir sede

Conforme o corpo se desidrata, os sensores que medem o nível de hidratação corporal são ativados e o indivíduo passar a sentir sede. As pessoas geralmente esperam sentir sede para beber água, entretanto, a sede é um sinal de que seu corpo já está desidratando, por isso é preciso tomar água para não sentir sede.

4- Sensores de hidratação

Conforme envelhecemos, os sensores que regulam os níveis de água no organismo e nos avisam para nos hidratarmos, trabalham de forma menos eficiente, dessa forma, as pessoas, principalmente os idosos, sentem menos sede, e como geralmente só ingerem água quando estão com sede, acabam se desidratando.

Nesse caso, é preciso incentivar a ingestão d’água, mesmo sem que o idoso sinta sede, para evitar a desidratação e preservar a saúde.

5- Consumo recomendável

O recomendável é o idoso ingira de 2L a 2,5L de água por dia. Não é fácil para o idosos consumir tanta água, principalmente sem sentir sede, devido as falhas nos sensores de hidratação; como alternativa, o idoso pode complementer esse consumido com a ingestão de sucos e frutas.

6- Funções cerebrais

Um baixo consumo de água pode pode comprometer algumas funções cerebrais, e até mesmo ter seus sintomas confundidos com outras doenças. Entre os problemas relacionados estão: desorientação, confusão mental, dificuldade de reconhecer pessoas, etc.

Esses foram apenas 6 dos principais pontos importantes hidratação na terceira idade. Afinal, se hidratar da forma correta é fundamental para todos e tem papel fundamental no organismo, não deixe esse consumo de lado.