Saúde mental dos colaboradores: qual a importância

saúde mental dos colaboradores

A saúde mental é assunto que vem ganhando espaço nos últimos tempos, devido a cada vez mais pessoas sofrerem com problemas psicológicos como ansiedade, estresse, depressão, síndrome do pânico, esquizofrenia, entre outros problemas graves, o que muitas vezes faz com que acabem se envolvendo no mundo das drogas, tornando-se viciados nessas substâncias químicas para fugir de sua realidade.

Em meio a ascenção dos problemas mentais surge a pergunta: Por que as empresas devem se preocupar com a saúde mental dos colaboradores e qual a sua responsabilidade para com isso?

Hojem em dia a rotina de trabalho está cada vez mais complexa, são muitas atividades simultâneas com as quais os profissionais têm que lidar, longas carga-horárias, metas extremamente altas e muita cobrança. Ainda há os fatores externos ao ambiente de trabalho, como a preocupação em manter o emprego, problemas financeiros, familiares, entre outros.

O fato é que a mente das pessoas, nos de hoje, além de ser bombardeada por informações a todo momento (internet, sms, tv, rádio, jornais, revistas, entre outros meios de comunicação) também é pressionada por diversos fatores como trabalho, estudos, vida pessoal, etc.

Segundo dados da OMS (Organização Mundial da Saúde) mais de 10% da população brasileira sofre com transtornos mentais. Outro dado importante é que o Brasil é o país da América Latina com a maior taxa de depressão.

Como as pessoas passam grande parte de seus dias no ambiente trabalho, nada mais justo que levar esse assunto para dentro desse ambiente, ainda mais que a saúde mental dos colaboradores é extremamente importante para o bom desempenho suas atividades. E na verdade, o ambiente corporativo é um dos principais responsáveis pelo surgimento dos problemas mentais das pessoas.

Conclusão: A saúde mental dos colaboradores

As empresas devem se preocupar com a saúde mental dos colaboradores e pensar em ações que os ajude a prevenir esses problemas.

Uma ótima opção é organizar debates sobre o assunto, onde empresa poderá identificar algumas falhas em seus processos, agentes causadores ou estimuladores de problemas mentais. Já os funcionários que estão isentos de problemas mentais aprendem como se prevenir através da experiência e testemunho dos demais.

E o que a empresa ganha com isso? Colabores saudáveis produzem mais e melhor, ao mesmo tempo em que apresentam maior capacidade de interação interpessoal e trabalho em equipe.

Invista em um ambiente de trabalho agradável e acolhedor, reduza os agentes estressores, as pressões, faça dinâmicas de grupo para entender melhor o comportamento de sua equipe, coffee breaks para relaxarem a mente enquanto comem e conversam um pouco.

Quanto mais agradável o ambiente de trabalho for, e menos cobrança os colaboradores receberem, melhor será a saúde mental e resultado do trabalho desses profissionais.

A importância da atividade física em todas as idades

prática de atividade física

A prática regular de atividade física é essencial para se ter uma vida saudável. Provavelmente você deve ter ouvido sobre isso inúmeras vezes, entretanto, você sabe qual a real importância da prática de atividade física, os benefícios que ela proporciona na vida das pessoas e em quais momentos deve-se praticá-la (infância, juventude, vida adulta ou terceira idade)?

De modo geral, podemos dizer que a prática de atividade física ajuda manter o corpo forte, saudável e contribui para a prevenção e/ou tratamento de inúmeras doenças (diabetes, osteoporose, entre outras), inclusive as relacionadas à obesidade.

A prática de atividade física é recomendável para todas as pessoas, incluindo gestantes, portadores de doenças reumatológicas, ortopédicas e cardiorrespiratórias. Entretanto, nesses casos específicos a atividade deve ser orientada por um médico e acompanhada por um educador físico, de modo a evitar lesões. Atividades físicas são indicadas para todas as fases da vida e, para cada uma dessas fases existem alguns benefícios específicos.

Atividade física na infância

O primeiro benefício das crianças praticarem atividades físicas é o fato de que desde cedo se elas se acostumam com essas atividades, as quais se tornam algo prazeroso, o que contribuirá para uma prática regular ao longo da vida e um crescimento saudável.

A atividade física contribui para o desenvolvimento motor (equilíbrio, força, agilidade, etc.) e cognitivo das crianças, e desde cedo elas já mantém seus corpos protegidos de muitas patologias. Conforme a idade avança, o fortalecimento da musculatura e aumento da flexibilidade vai sendo gradual.

Atividade física na vida adulta

Na vida adulta é onde inicia-se o declínio da massa muscular e devido a isso, os exercícios de resistência (musculação, treinos funcionais, pilates, entre outros) são extremamente importantes.

Para os adultos entre 18 e 65 anos é recomendada a prática de atividades aeróbicas de intensidade moderada 5 vezes por semana, por um período mínimo de 30 minutos; ou atividades de alta intensidade 3 vezes por semana por pelo menos 20 minutos.

Além dos benefícios já citados anteriormente, para os adultos, outros grandes benefícios da prática de atividade física é a diminuição da ansiedade, estresse e depressão.

Atividade física na terceira idade

As pessoas estão vivendo cada vez mais, o envelhecimento é algo inevitável, e com ele ocorrem diversas transformações físicas e psicológicas nas pessoas, a atividade física é uma forma de desacelerar essas transformações.

Para os idosos, a prática de atividade física é fundamental para uma melhor qualidade de vida. Ela fortalece os músculos, ossos e articulações, o que melhora a capacidade de locomoção e realização de tarefas diárias, e ainda diminui a ocorrência de quedas e, consequentemente, lesões.

Além de ajudar prevenir e tratar algumas doenças, também ajuda na auto-estima do idoso, que quando saudável, consegue ser mais independente, o que minimiza os riscos de depressão e outros problemas psicológicos.

Conclusão

Além de contribuir para a sensação de bem-estar, aliviar dores crônicas e melhorar a resistência física, a prática regular de atividade é fundamental para a saúde, atuando na prevenção e tratamento de doenças cardiorrespiratórias, psicossomáticas, metabólicas, alguns tipos de cânceres, AVC, diabetes, hipertensão, osteoporose, entre muitas outras.

Não perca tempo! Se você não pratica atividade física, independentemente da sua idade, comece a praticar o quanto antes.

É importante buscar orientação de um profissional de educação física a respeito das atividades indicadas para você, sua intensidade e a melhor forma de realizá-las.

Caso possua alguma patologia, procure um médico antes de começar a praticar qualquer atividade física. Ele fará uma avaliação e poderá vetar algumas atividades e recomendar outras, de modo a garantir sua segurança, os benefícios das atividades e evitar lesões ou outras complicações.

Dicas para envelhecer sem arrependimentos

envelhecer de forma saudável

O tempo não pára, na verdade é implacável e corre em alta velocidade. Durante a infância, a percepção da passagem do tempo é totalmente diferente, para elas um ano dura uma eternidade, e muitas, constam os dias para para chegar seu aniversário. Já na vida adulta, 365 dias passam tão rápido que quando nos damos conta, já é hora de preparar a decoração de natal.

Com o tempo passando tão rápido, não podemos vacilar ao longa da vida e depois, na velhice, sofrermos com arrependimentos. Se você quer ter uma velhice tranquila, alegre e sem arrependimentos, confira as dicas que preparamos:

Evite se preocupar demais

O cotidiano por si só já fomenta a preocupação, as pessoas têm que lidar com muitas responsabilidades (trabalho, estudos, família, etc.) e pressões todos os dias o que faz com que seja extremamente difícil não se preocupar, evitar o estresse e ansiedade. Apesar disso, é preciso que essas preocupações sejam controladas, tente dar atenção ao que realmente é importante, pondere, se distraia, relaxe mais!

Seja honesto

Quer ter uma vida sem arrependimentos? Então seja uma pessoa honesta, sempre! Se não, em algum momento da vida, provavelmente ao envelhecer, você repensará tudo que viveu, todas as suas ações,  e se arrependerá das coisas que fez de errado, da falta de empatia, de ter prejudicado outras pessoas para seu próprio benefício, erros esses que dificilmente poderão ser corrigidos, mas sim, podem ser evitados.

Faça o bem ao próximo

Independentemente da situação, é ótimo poder contar com o auxílio de alguém quando passamos por alguma dificuldade. Da mesma forma que algum momento, na verdade em vários momentos de nossas vidas, contamos com ajuda de outras pessoas, também devemos ajudar as pessoas, sempre que possível e sem esperar algo em troca.

Se arrisque, ouse!

Não deixe que o medo de perder tire de você a possibilidade de alcançar seus objetivos. Não importa quantas vezes você caiu e nem quantas mais cairá, se você tem um sonho, persiga-o, uma hora você irá conquistá-lo e, quanto maiores forem os obstáculos superados durante esse percurso, mais gratificante será. No futuro, ao envelhecer, você se lembrará do quanto lutou, verá que valeu a pena e se sentirá orgulhoso.

Trabalhe menos, viaje mais

É normal as pessoas trabalharem muito, pensando em conseguir maiores salários, para que possam oferecer mais conforto para elas mesas e suas famílias. O problema é que quanto mais as pessoas trabalham, menos tempo elas  têm para passar com a família e, lembrar disso ao envelhecer pode ser extremamente frustrante. Equilibre o trabalho (seu sucesso profissional) com sua vida pessoal, de modo a desfrute o melhor de ambos.

Passe mais tempo com a família e amigos

A correria do cotidiano, juntamente com mudanças de cidade, entre outros fatores, fazem com que as pessoas acabem se afastando. Apesar disso, não espere a velhice chegar para perceber que não há nada melhor que passar tempo com as pessoas que você ama. Dedique mais tempo à sua família, cônjuge, filhos, aos seus pais (enquanto você ainda os tem), parentes próximos e amigos. Estar com essas pessoas é uma ótima forma de se divertir e fugir do estresse, ao mesmo tempo que melhora sua qualidade de vida e te deixa mais feliz.

Tenha um plano de saúde

Uma vida saudável, com boa alimentação, prática regular de atividades físicas e controle dos níveis de estresse contribuem para uma velhice mais tranquila e saudável, minimizando os riscos de desenvolvimento e/ou agravando de diversas doenças.

E para te ajudar a cuidar da sua saúde durante toda a vida e, de quebra, garantir que não haverá arrependimentos quando envelhecer, uma opção é contratar um plano de saúde. Independentemente se um plano individual, familiar ou empresarial, o importante é poder contar com o suporte de um convênio, para poder receber atendimento a qualquer momento, seja para consultas de rotina, tratamentos ou em casos de emergência.

 

 

Plano de Saúde: Doenças que podem impedir a contratação

doenças e plano de saúde

Você sabia que tem doenças preexistentes que podem impedir a contratação de um plano de saúde? Sabemos que ter um plano é algo fundamental para grande parte da população brasileira, que não pode pagar os altos valores cobrados pelo atendimento médico particular, e ao mesmo tempo, não querem depender da precariedade do atendimento da rede pública disponibilizado pelo Sistema Único de Saúde – SUS.

Mas na hora de contratar um plano de saúde, se o indivíduo possuir determinadas doenças preexistentes ele pode ser impedido de realizar a contratação. E quais são as doenças que podem ocasionar esse impedimento?

Continue a leitura, logo abaixo respondemos essas e outras dúvidas referente a contratação de planos de saúde quando se tem doenças preexistentes.

Algumas doenças podem impedir a contratação de planos de saúde?

Na busca por um plano de saúde, um problema que muitas pessoas encontram é o fato de possuírem algumas doenças preexistentes que podem dificultar ou até impossibilitar a contratação do convênio.

Doenças que podem dificultar ou impedir a contratação do plano de saúde:

  • Hepatite;
  • Diabetes;
  • AIDS/HIV;
  • Cânceres;
  • Hipertensão;
  • Tuberculose;
  • Doenças cardiovasculares;
  • Doenças renais;
  • Doenças pulmonares;
  • Doenças ou lesões que necessitem de cirurgias;
  • entre outras.

De acordo a Lei 9656/1998 as operadoras não podem impedir que uma pessoa com alguma doença ou lesão preexistente adquira um plano de saúde. Como alternativa, elas podem aplicar a Cobertura Parcial Temporária e o Agravo.

Caso a operadora insista em negar a contratação do convênio, a indicação é que seja formalizado uma reclamação à Agência Nacional de Saúde Suplementar – ANS. Se a pessoa ainda quiser adquirir o plano de saúde, deve recorrer a um advogado especialista em saúde, o qual entrará com uma ação contra a operadora. Esteja munido de provas que sustentem sua alegação (e-mails, números de protocolos, gravações de conversas, propostas com valores e dados dos planos oferecidos, etc.).

O que são doenças preexistentes?

As doenças preexistentes (DLP – doença ou lesão preexistente) são todas as doenças que as pessoas sabem que possuem antes da contratação de um plano de saúde.

No ato da contratação de um plano de saúde, o indivíduo precisará preencher um documento, declaração de saúde, no qual deverá informar se possui alguma doença preexistente.

Caso o cliente saiba que possui uma doença preexistente e não a informe na declaração de saúde, e isso seja descoberto, o convênio poderá rescindir o contrato alegando má fé. Também pode ocorrer de o beneficiário possuir uma doença e não saber, nesse caso não é considerada uma doença preexistente.

O que é Cobertura Parcial Temporária – CPT?

A CPT funciona como um período de carência, que de acordo com a ANS poderá durar até 24 meses, ficando a critério da operadora do convênio a definição desse prazo.

Durante esse período, o beneficiário não poderá utilizar seu convênio para realizar o tratamento de sua doença ou lesão preexiste. Poderá realizar alguns procedimentos mais simples (de acordo com o estabelecido em contrato), mas os procedimentos mais complexos como cirurgias, internações em leitos de alta tecnologia – UTI, exames caros, etc.

O que é agravo?

O agravo é uma alternativa para o que o contratante possa gozar de toda a cobertura do plano de saúde sem ter que cumprir a Cobertura Parcial Temporária. Ele consiste em um acréscimo expressivo no valor da mensalidade do plano durante o período que duraria a CPT. Um ponto importante é que as operadoras não são obrigadas a oferecerem o agravo.

Conclusão

Para os beneficiários de planos de saúde, ter que cumprir períodos de carência é algo terrível, mas infelizmente é algo necessário, pois se não fosse dessa forma, as pessoas tenderiam a buscar os planos de saúde sempre que estivessem doentes (em vez de se prevenirem), e as operadoras teriam uma demanda extremamente maior de procedimentos, muitas vezes complexos e caros, o que as fariam ter prejuízo, e como são empresas, foram concebidas para gerar lucro.

Se você quer cuidar da sua saúde, receber atendimento médico de qualidade quando necessário, pensar no seu futuro, e mesmo que você possua doenças preexistentes, contratar um plano de saúde é uma excelente decisão. Por mais que os prazos de carência pareçam longos, nesse período você estará investimento em você, na sua saúde, e depois de cumprida, poderá gozar de todos os benefícios do plano.

Se você tem uma doença preexistente, não deixe que a carência de até 24 meses te impeça de adquirir um convênio, pense a longo, no quanto o plano de saúde será útil para o tratamento da sua doença no futuro, e como contribuirá para a prevenção e/ou tratamento de outras patologias.

Saúde ocupacional: Doenças comuns e como evitá-las

saúde ocupacional, doenças comuns e como evitá-las

Saúde ocupacional está relacionada a doenças relacionadas ao ambiente de trabalho, também conhecida como doença profissional, que está descrita no artigo 20, inciso 01 da lei de nº 8.213 de 24 de julho de 1991, pode ser definida como todo os tipos de patologias/enfermidades decorrentes do exercício de uma determinada atividade profissional.

O diagnóstico da doença ocupacional depende do nexo de causalidade, o qual nesse caso é a ligação entre a doença e o trabalho desempenhado, uma vez que o trabalho deve estar diretamente ligado à doença, sendo seu causador.

Uma boa forma de fixar o conceito de saúde ocupacional é com exemplo abaixo:

A LER (lesão por esforço repetitivo): problema ocasionado pela inflamação de músculos, e/ou tendões. Essa doença costuma ocorrer de forma mais frequente em pessoas que trabalham em frente à computadores, digitando durante muitas horas, ou pessoas que exerçam outras atividades que envolvam movimentos repetitivos. Como consequência dessas doenças, o trabalhador passa a sentir muita dor, podendo até mesmo ficar incapacitado de exercer suas atividades profissionais provisória ou permanentemente.

Saúde ocupacional: Doenças ocupacionais comuns

As doenças ocupacionais são responsáveis pelo afastamento de milhares de profissionais todos os anos, é um problema sério, o que afeta tanto as empresas com altas taxas de absenteísmo, quanto os trabalhadores, que podem desenvolver problemas sérios de saúde ocupacional.

1 – LER/DORT

LER (Lesão por Esforços Repetitivos) e DORT (Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho) são as doenças ocupacionais mais comuns e que acontecem  com mais frequência. São geralmente provocados por uma má postura e esforços repetidos por longos períodos.

Para prevenir esses problemas é preciso utilizar equipamentos ergonômicos, corrigir a postura (mantendo a coluna reta), fazer pequenas pausas durante o trabalho e alongar o corpo, principalmente as partes mais afetadas pelos desempenho da função. Mesmo com a precaução, se perceber o surgimento de dores, procure um médico para que ele faça uma avaliação e diagnostique o problema.

2 – Doenças psicológicas

As pressões, metas e excesso de cobrança no ambiente de trabalho, toda essa correria cotidiana somada a longas cargas horárias de trabalho, e pessoas que ainda têm mais de um emprego ou também estudam, faz com que fiquem ansiosas, desenvolvam o estresse e até mesmo a depressão, o que pode desencadear outras doenças, além de afetar negativamente a vida social e laboral.

É importante que no ambiente do trabalho haja um sistema de avaliação e controle das doenças psicossociais, de modo a gerir o nível de estresse laboral, identificar os fatores de risco e trabalhar em ações que estimulem o bem-estar mental dos colaboradores. Em alguns casos, pode ser preciso diminuir a demanda de trabalho, metas e o nível das cobranças, não incentivar que os funcionários levem trabalho para casa, entre outras ações. A prática de atividade física também tem um papel importante na prevenção dessas doenças.

Ao ser percebido o surgimento desses problemas, o profissional deve buscar o auxílio médico, de preferência de um psicólogo, para fazer o acompanhamento do quadro. Afinal, a saúde ocupacional é algo que deve ser levada em consideração.

3 – Doenças dermatológicas

Reações alérgicas relacionadas ao contato com determinadas substâncias (como óleo, graxa, entre outras), no ambiente de trabalho podem resultar em ardência, coceira, vermelhidão, aspecto escamoso, etc. Para evitar esses problemas, os profissionais devem utilizar roupas de proteção (mangas longas e calças e botas de borracha) com tecidos resistentes.

A exposição excessiva ao Sol, sofrida por trabalhadores ao ar livre, pode trazer graves problemas de pele, podendo desenvolver o câncer. Como alternativa, é recomendável evitar a exposição entre às 10h e 16h, e sempre utilizar protetor solar.

De qualquer forma, se perceber qualquer tipo de reação alérgica na pele (vermelhidão, ardência, dores, etc.), consulte um médico para que seja feito um diagnóstico e definido o melhor tratamento.

Conclusão:

A saúde ocupacional ocasiona problemas sérios com os quais as empresas precisam lidar. Funcionários doentes têm seu desempenho reduzido de forma expressiva, funcionários afastados provocam o remanejamento de pessoal e até mesmo algumas contratações temporárias. Para evitar esses problemas, reduzir a taxa de absenteísmo e os prejuízos financeiros, ao mesmo tempo que demonstrar preocupações com a saúde e bem-estar de seus colaboradores, as empresas devem investir em prevenção e conscientização.

É preciso que as empresas estejam atentas à saúde física e mental de seus colaboradores. Disponibilizar planos de saúde empresariais para seus funcionários é extremamente importante, dessa forma, eles poderão recorrer a um atendimento médico de qualidade no momento em que perceberem qualquer alteração em sua condição de saúde, onde rapidamente será diagnosticado o problema e, se necessário, definido o melhor tratamento.

Muitas das doenças ocupacionais podem ser prevenidas, mas no caso de alguns problemas que não podem ser evitados, ou que tendem a serem agravados, é interessante que os empregadores considerem a possibilidade de realocar esses profissionais afetados em outras funções, de modo a preservar sua saúde e mantê-lo ativo no trabalho. A saúde ocupacional precisa ser levada em conta em todas as empresas para que todos os lados vejam os benefícios de funcionários saudáveis e motivados.

4 truques que podem turbinar sua saúde

truques que podem turbinar sua saúde

Que a saúde é uma das coisas mais importantes da nossa vida, não é nenhuma novidade e dicas pra turbinar sua saúde são sempre bem vindas. Afinal, problemas de saúde tendem a afetar negativamente nossa qualidade de vida e bem-estar, e isso também impacta direta e negativamente em nosso convívio social.

Doenças podem deixar o indivíduo indisposto ou até mesmo impossibilitá-lo de se locomover, sair com amigos, familiares, etc.  As doenças também podem prejudicar e até mesmo impossibilitar o exercício de suas atividades no trabalho. Se você pratica atividade física, esportes, entre outros, também pode ser seriamente afetado, dependendo da patologia.

Para evitar que problemas de saúde afetem sua vida, a opção mais apropriada e assertiva é a prevenção.

4 truques que podem turbinar sua saúde.

Atente-se à higiene:

Por que você se preocupe com a higiene, há alguns detalhes que por muitas vezes podem passar despercebidos e, consequentemente, prejudicar sua saúde. A principal dica aqui é lavar as mãos regularmente, dessa forma você evitar se contaminar ou transmitir doenças, através do contato com outras pessoas, objetos ou alimentos.

Ainda pensando na higiene, é extremamente importante lavar os alimentos (frutas e legumes) antes de consumi-los.

Cuide da saúde mental:

A saúde mental, por muitas vezes é deixada de lado, mas em muito cada vez mais corrido, com o mercado de trabalho exigindo mais e mais dos profissionais, a pressão para conseguir uma boa faculdade, tirar notas boas na escola, trabalhar e estudar ao mesmo tempo, são muitos os faturados os quais sobrecarregam as pessoas, sejam elas crianças, jovens ou adultos.

Estes fatores fazem com que as pessoas se tornem ansiosas, se sintas desgastadas, muitas sofrem com o estresse e outras chegam a ao estado da depressão. Algo que parece simples pode tomar grandes proporções se não for cuidado, e consequentemente, pode desencadear diversos outros problemas de saúde.

É importante identificar o que tem te sufocado, estressado, e tentar lidar com problema, se isso não for possível, procure ajuda de um profissional, psicólogo, antes que o problema se agrave.

Também reserve tempo para o lazer, sair com amigos, passar tempo com familiares, desligue sua mente das obrigações e se divirta, isso é fundamental para sua saúde mental, e você perceberá os benefícios no seu corpo, disposição, motivação, foco, etc.

Não negligencie o sono:

Em uma sociedade onde somos bombardeados por informações 24h por dia, e que essas 24h parecem não ser suficiente para fazermos tudo que temos pendente, ou mesmo, para aproveitar tudo o que gostaríamos, tem se tornado comum as pessoas dormirem menos para aproveitar um pouco mais do dia.

Pessoas que trabalham muito longe, quem trabalha no segmento de transportes, estudantes e quem trabalha e estuda, também acabam dormindo menos devido suas obrigações.

Como resultado de dormir pouco vem o cansaço excessivo, a dificuldade de concentração, irritabilidade, estresse, e outros mal-estares. A solução para turbinar sua saúde quanto a isso é, se organizar, ajuste sua agenda para que consiga ter mais tempo para dormir. O ideal é dormir entre 6 e 8 horas por noite.

Alimente-se bem e de forma saudável:

Uma boa alimentação é a base para se ter um corpo saudável. Nada de fazer dietas extremamente restritivas, como as que cortam carboidratos e focam apenas na ingestão de proteínas. O ideal é ter uma alimentação balanceada, rica em proteínas, vitaminas, minerais, carboidratos bons, e limitar o consumo de açúcar, sódio e gordura.

Frutas, vegetais e cereais são alguns alimentos que devem fazer parte da sua dieta. De qualquer forma, nossa sugestão é que você recorra a um nutricionista, o qual fará uma avaliação e definirá a melhor dieta para você.

Se você costuma comer grandes quantidades de alimento em cada refeição, uma boa dica é começar a comer mais devagar, e mastigar bem os alimentos, dessa forma, perceberá que passará a se sentir satisfeito comendo menos que antes.

Outro ponto importante é fazer várias refeições durante o dia, em um intervalo de aproximadamente 3 horas entre cada uma delas. Dessa forma, você evita que seu corpo sinta fome, o que fará com que você também coma menores quantidade, ajudando seu organismo a absorver melhor os nutrientes dos alimentos.

São diversas as opções para turbinar sua saúde e tentar manter um equilíbrio físico e mental. O dia a dia de todos tende a ser corrido e, às vezes, desgastante. Mas, se atitudes e hábitos simples podem ser colocados em prática, por que não fazê-los. Compartilhe outras dicas com a Rumo!

Um plano de saúde: Quem pode contratar?

quem pode contratar um plano de saúde

Ter um plano de saúde hoje em dia é considerado algo fundamental para quem deseja ter acesso a um atendimento médico de qualidade por um preço justo. Atualmente, plano de saúde é sinônimo de segurança, qualidade de vida e bem estar. Mas antes de tudo isso, é preciso que a pessoa encontre um plano de de saúde que atenda suas necessidades e assine um contrato.

Suponhamos que você chegou à conclusão de que precisa de um plano de saúde e já começou a pesquisar as operadoras, modalidades disponíveis, coberturas e preços. Dentre as pesquisas surgem algumas dúvidas, das quais muitas são sanadas conforme vão surgindo. Em meio a essas dúvidas,  existem duas duas que necessitam de uma atenção especial:

  • Quem pode contratar um plano de saúde?
  • O que o contratante deve receber no ato da contratação?

Você está ansioso para realizar a contratação de um plano de saúde e quer muito saber as respostas para essas duas perguntas? Então continue lendo esse artigo, logo abaixo respondemos essas dúvidas.

Quem pode contratar um plano de saúde?

Os planos de assistência à saúde são divididos entre planos individuais, familiares,    coletivos por adesão e empresariais (a partir de 2 vidas):

Pessoa física:

Os planos individuais e familiares são contratados por pessoas físicas; o contato é realizado diretamente com a operadora que oferta o plano de saúde escolhido.

Pessoa jurídica:

Os planos de saúde coletivos são contratados por pessoas jurídicas, as quais podem ser empresas, sindicatos ou associações de classe. O plano pode ser contratado pela pessoa jurídica diretamente com a operadora ou por intermédio de uma administradora de benefícios, seja esta na qualidade de estipulante do contrato, participante ou representante, desde que formalizado.

Já os planos empresariais ou corporativos atendem empresas de diferentes portes a partir de duas vidas e pode ser contratado para sócios, funcionários e/ou dependentes.  As vantagens são as mesmas de um plano individual/familiar, mas com o diferencial de mensalidades com valores reduzidos.

Aqueles que trabalham por conta própria e estão enquadradas no MEI também conseguem contratar um plano de saúde e este é valido tanto para dependentes como para funcionários registrados.

Renovação

A renovação dos contratos de planos de saúde é automática, ocorrendo no final da vigência do mínima previamente estabelecida no contrato. Para essa renovação, são vetadas quaisquer cobranças ou taxas.

Para os planos individuais ou familiares, a operadora pode definir o prazo mínimo de vigência do contrato como 1 ano, começando contar a partir do momento do pagamento da primeira mensalidade, da data de assinatura ou da proposta de adesão, ou seja, dessas opções o que acontecer primeiro.

No caso dos planos coletivos, as operadoras definem prazo mínimo de vigência, e então precisam notificar o beneficiário que a renovação do contrato será automática e por prazo indeterminado. Para efeitos de reajustes anuais, o início da vigência dos planos coletivos é a data em que o contrato é assinado.

Desde que ainda não tenha sido realizado nenhum pagamento, a operadora e o contratante podem negociar o início do prazo de vigência contratual.

Para os planos operados por autogestão, a vigência terá sua data de início equivalente a data da aprovação do regulamento ou data em que o patrocinador assinou o contrato de adesão.

O que o indivíduo recebe no ato da contratação?

A partir de novembro de 2009, as operadoras de planos de saúde passaram a ter que entregar ao consumidor o MPS (Manual de Orientação para Contratação de Planos de Saúde), esse manual deve ser entregue antes da assinatura do contrato.

As operadoras também devem entregar para todos os contratantes o GLC (Guia de Leitura Contratual), e este documento deve ser entregue juntamente com o cartão de identificação do usuário.

Continue acompanhando e entenda como um plano de saúde pode oferecer a tranquilidade que você, sua família, empresa e colaboradores merecem.

Plano de saúde ideal para seu orçamento: como encontrar

plano de saúde ideal para seu orçamento

como encontrar o plano de saúde ideal para seu orçamento

Uma dúvida que muitas pessoas têm é “como encontrar o plano de saúde ideal?”. De antemão, essa não é uma tarefa tão complexa quanto parece, entretanto demanda muita atenção para evitar problemas posteriores.

A vida é o bem mais precioso de uma pessoa, e a saúde é algo fundamental para vida, uma vez que problemas de saúde prejudicam a qualidade de vida do indivíduo, podendo até levá-lo ao óbito.

E para cuidar desse bem tão precioso, a vida, muitas pessoas têm recorrido aos planos de saúde e seus benefícios. Este por sua vez, é uma alternativa ao atendimento médico público, oferecido pelo SUS (e que muitas vezes leva muito tempo para o paciente conseguir agendar consultas, fazer exames, cirurgias, etc.), e ao atendimento particular (o que costuma ser muito caro).

Escolhendo um plano de saúde ideal

Atualmente, o Brasil conta com mais 1.300 operadoras de planos de saúde, e com tantas opções, fica difícil decidir qual contratar.

Na hora de escolher seu plano de saúde, existem diversos fatores que você precisará levar em consideração, para que dessa forma encontre o plano ideal para suas necessidades e por um preço que seja compatível com seu orçamento.

Definir suas necessidades

A primeira coisa a fazer quando se pretende contratar um plano de saúde é definir suas necessidades, pois dessa forma você saberá quais características o plano ideal para você deverá ter.

Se você é jovem e saudável, planos de saúde mais básicos atendem sua necessidade, entretanto conforme a idade avança (principalmente após os 50 anos), as pessoas ficam mais vulneráveis às doenças e outras complicações na saúde, e por isso são indicados planos mais completos, com cobertura de internações, cirurgias, etc.

Para quem pensa em engravidar, um plano de saúde de atenda as necessidades da mãe e do bebê é fundamental. Também é importante que o plano escolhido seja com obstetrícia, para garantir o parto da mãe, além de todo o pré-natal, seja coberto pelo convênio.

Pesquisar operadoras

A próxima etapa é pesquisar as operadoras a fim de encontrar um plano de saúde que atenda suas necessidades. Nessa fase, é ideal contar com o apoio de um consultor de seguros. A Rumo Saúde é uma empresa especialista nesse segmento, e conta com uma equipe de profissionais extremamente capacitados, que te ajudarão encontrar a melhor operadora e o plano de saúde ideal para suas necessidades e para seu orçamento.

Rede referenciada

Um ponto muito importante e que é preciso ser levado em consideração é tamanho da cobertura da rede referenciada. Existem planos em que a cobertura é regional, outros em que é estadual e, até mesmo, plano em que a cobertura é nacional.

Na hora de contratar um plano de saúde é preciso estar ciente de qual tamanho da rede referenciada é mais importante para você. Se você viaja muito, por exemplo, seria interessante poder ser atendido onde quer que esteja.

Existem outros fatores, também importantes, que precisam ser levados em consideração na hora de escolher seu plano de saúde:

  1. Períodos de carência
  2. Ranking da operadora na ANS
  3. Avaliações de clientes
  4. Agilidade no atendimento

Para facilitar sua vida e escolher seu plano de saúde de forma assertiva, ideal para suas necessidades e orçamento, conte a Rumo Saúde!

Nascemos filhos, mas nos tornamos pais de nossos pais

Os primeiros e mais importantes heróis para uma criança são seus pais. Para os filhos, eles são considerados invencíveis, possuem super-poderes e estão sempre preparados para os proteger de todas adversidades, fazendo-os se sentirem seguros e amados.

Mesmo vivendo em casas separadas, os pais estão sempre presentes na vida dos filhos. Eles geralmente são seus modelos, suas principais referências, estas que acompanharão os filhos durante toda sua vida, ajudando-os a superar todos os desafios que encontrar em seu caminho.

Na vida adulta, a relação dos filhos com seus pais se mantém. Eles continuam sendo seu porto-seguro, onde podem buscar auxílio a qualquer momento, pedir conselhos, receber um cafuné e ser consolado, etc. Os filhos esperam que seus pais estejam sempre lá, prontos para recebê-los de braços abertos, com todo o amor e carinho que sempre demonstraram.

Mas o <a href=”http://blog.rumosaudeseguros.com.br/2-aliados-para-um-envelhecimento-saudavel/”><strong>envelhecimento de nossos pais</strong></a> é inevitável, e ele traz algumas limitações para o idoso, que vão se agravando com o passar o tempo: esquecimentos, dificuldade de concentração, diminuição do vigor físico, dificuldades de locomoção, problemas na visão e audição, desenvolvimento ou agravamento de doenças, entre outros problemas.

Em algum momento da vida, para alguns mais cedo e outros mais tarde, as pessoas terão a possibilidade de cuidar e retribuir parte do carinho dedicado por seus pais. É a oportunidade dos filhos de servi-los, demonstrando todo seu amor e gratidão por tudo que seus pais já fizeram por eles.
<h2><em>Nascemos filhos, mas nos tornamos pais de nossos pais</em></h2>
Por mais irônico que possa parecer, iniciamos nossa jornada sendo dependentes de nossos pais e a terminamos sendo dependentes dos nossos filhos: nós <strong>nascemos filhos</strong>, em algum momento da vida nos tornamos <strong>pais de nossos pais</strong> e finalizamos nos tornando <strong>filhos de nossos filhos</strong>.

Mas quando chega o momento em que os papéis se invertem, onde os filhos viram pais e os pais filhos, será que ambos estão preparados? Como será que ambos lidam com essa situação?

Por mais que as pessoas já saibam que isso um dia acontecerá, as pessoas nunca estão preparadas para essa situação, e a ficha só cai quando a água já está na altura do pescoço, ou seja, quando chega o momento de os papéis se inverterem.

Não existe uma receita para lidar com essa situação, terá que aprender e superar as dificuldades no dia-a-dia. Comece por aceitar que as coisas mudaram, que a relação entre você e seus pais atingiu um novo nível, o qual gera novas responsabilidades e demanda uma nova postura. Nessa fase, os pais podem se tornar teimosos e argumentadores, por isso, controlar suas expectativas é fundamental para evitar frustrações. Não faça tudo sozinho, se tiver irmãos, divida as responsabilidades e tomem as decisões em conjunto; ajuda externa de pessoas próximas também é válido, pois traz uma outra visão da situação que talvez você não teria.

Cuidar de você, da sua <strong>saúde física e <a href=”http://blog.rumosaudeseguros.com.br/4-doencas-psicologicas-mais-comuns-na-terceira-idade/”>mental</a></strong>, também é de extrema importância. Como poderá cuidar de seus pais se você não estiver bem? Tenha um <a href=”http://blog.rumosaudeseguros.com.br/vantagens-de-contratar-plano-de-saude-para-idosos/”>bom plano de saúde</a>, faça visitas de rotina ao seu médico, alimente-se bem e de forma saudável, pratique atividade física, durma bem, dedique tempo para relaxar e para se divertir com familiares e amigos.

Gestante sem plano de saúde? 3 problemas que poderá enfrentar

gestante e sem plano de saúde 3 problemas que enfrentará

Nos dias de hoje, ter um plano de saúde não é um motivo de ostentação ou de querer exclusividade, se tornou uma real necessidade para a população brasileira, principalmente nas metrópoles, onde o acesso ao atendimento médico público é dificultado devido a grande demanda de pessoas buscando atendimento.

O SUS, Sistema Único de Saúde, que é um dos maiores sistemas públicos de saúde de todo o globo e foi concebido com o grande objetivo de oferecer acesso gratuito a serviços de saúde à população brasileira, já não é suficiente para atender toda essa demanda. Faltam  hospitais; UBS’s (Unidades Básicas de Saúde); equipamentos para exames,  tratamentos, procedimentos cirúrgicos, etc.

Como alternativa aos serviços médicos públicos, prestados pelo SUS, há as seguintes opções: atendimento particular ou via plano de saúde.

O atendimento particular costuma ter custos muito elevados, e por isso, acaba sendo inviável para muitas pessoas, as quais não possuem condições financeiras para arcar com essas despesas.

Para as pessoas que buscam mais segurança e tranquilidade na hora de cuidar da sua saúde (seja através de consultas de rotina ou mesmo a realização de intervenções cirúrgicas), não querem enfrentar as longas filas ou até esperar meses para ser atendido pelo SUS, e ao mesmo tempo querem pagar um valor justo e mais acessível por esse atendimento, a opção mais viável é o plano de saúde, seja ele corporativo ou individual/familiar.

Para as gestantes, ter um plano de saúde é algo imprescindível. Leia abaixo e entenda as razões.

5 problemas que as gestantes podem enfrentar sem um plano de saúde

  1. Atendimento por médicos diferentes

O mais indicado é que todo o pré-natal seja feito pelo mesmo médico, para que este possa acompanhar a gravidez do início ao fim. Dessa forma o médico conhece melhor a gestante, seu quadro, e poderá cuidar melhor de sua gestação.

Infelizmente, no atendimento público do SUS, nem sempre é possível se consultar com o mesmo médico, diferente do plano saúde, que permite a gestante fazer todo o pré-natal com um único médico.

  1. Falta de segurança e estresse

Depender do atendimento médico do SUS passa insegurança para muitas gestantes e é motivo de estresse, pelas dificuldades encontradas para se fazer um bom pré-natal. São visitas frequentes ao médico e diversos exames a serem realizados, que poderiam sofrer atraso devido a demanda que o SUS tem que lidar.

Infelizmente, o excesso de preocupação e estresse são prejudiciais à saúde da gestante e do bebê.

E esse é outro diferencial dos planos de saúde, pois transmitem segurança e tranquilidade para a gestante, que conta com acompanhamento médico durante toda a gestação, não precisando se preocupar com isso.

  1. Falta de cobertura para o bebê

Todos os recém-nascidos gozam do direito de receber atendimento médico gratuito através do SUS, mas ao mesmo tempo, ficam suscetíveis à todas as limitações que o sistema oferece.

Os recém-nascidos, cujas mães possuem plano de saúde com obstetrícia e com períodos de carência cumpridos, têm o benefício de poder utilizar o convênio da mãe durante seus primeiros 30 dias de vida, dentro desse período, a criança pode ser adicionada no plano da mãe como dependente e não precisa cumprir a carência.

Você que está gestante ou se sua mulher está grávida, não hesite em adquirir um plano para proteger essas duas vidas.