Hidratação na terceira idade: 6 pontos relevantes

hidratação na terceira idade

A água é algo extremamente importante para a vida, não apenas dos seres humanos, mas de todos os seres vivos (animais e vegetais). Nesse artigo falaremos de alguns pontos importantes a relação entre o consumo de água e saúde na terceira idade.

Constantemente ouvimos falar sobre a importância do consumo de água para a saúde, que precisamos ingerir uma determinada quantidade de água diariamente, mas mesmo assim muitas pessoas ainda não sabem quais as funções que a água exerce no organismo e, consequentemente, sua real importância e benefícios que o consumo correto trará para a saúde.

Na velhice, tudo que está relacionado à saúde do idoso merece atenção redobrada, e assim deve ser com a consumo diário de água. A necessidade de ingestão de d’água das pessoas idosos é semelhante a dos adultos jovens, mas a quantidade ingerida por eles na maioria das vezes é inferior.

6 pontos importantes da hidratação na terceira idade

1- Funções da água no organismo

  • Melhora o funcionamento do intestino;
  • Diminuir o risco de infarto;
  • Equilia a temperatura do corpo;
  • Compõe as articulações;
  • Regula a pressão arterial;
  • Compõe o plasma sanguíneo;
  • Controla a pressão sanguínea;
  • Limpa e desintoxica o organismo;
  • Melhora o funcionamento dos rins;
  • Transporta as vitaminas hidrossolúveis;
  • Transporte de nutrientes para as células;
  • Aumentar a resistência física e
  • Mantém a pele mais lisa e uniforme.

2- Percentual de Hidratação

Durante a gestação, o corpo é 100% composto por líquido, ao nascer, o corpo dos bebês apresenta 90% de hidratação; na adolescência esse percentual cai para aproximadamente 70%; já o nível corporal de hidratação na terceira idade fica em torno de 60% e na velhice, 50%.

3- Sentir sede

Conforme o corpo se desidrata, os sensores que medem o nível de hidratação corporal são ativados e o indivíduo passar a sentir sede. As pessoas geralmente esperam sentir sede para beber água, entretanto, a sede é um sinal de que seu corpo já está desidratando, por isso é preciso tomar água para não sentir sede.

4- Sensores de hidratação

Conforme envelhecemos, os sensores que regulam os níveis de água no organismo e nos avisam para nos hidratarmos, trabalham de forma menos eficiente, dessa forma, as pessoas, principalmente os idosos, sentem menos sede, e como geralmente só ingerem água quando estão com sede, acabam se desidratando.

Nesse caso, é preciso incentivar a ingestão d’água, mesmo sem que o idoso sinta sede, para evitar a desidratação e preservar a saúde.

5- Consumo recomendável

O recomendável é o idoso ingira de 2L a 2,5L de água por dia. Não é fácil para o idosos consumir tanta água, principalmente sem sentir sede, devido as falhas nos sensores de hidratação; como alternativa, o idoso pode complementer esse consumido com a ingestão de sucos e frutas.

6- Funções cerebrais

Um baixo consumo de água pode pode comprometer algumas funções cerebrais, e até mesmo ter seus sintomas confundidos com outras doenças. Entre os problemas relacionados estão: desorientação, confusão mental, dificuldade de reconhecer pessoas, etc.

Esses foram apenas 6 dos principais pontos importantes hidratação na terceira idade. Afinal, se hidratar da forma correta é fundamental para todos e tem papel fundamental no organismo, não deixe esse consumo de lado.

Plano de saúde para idoso: por que não ficar sem

As pessoas estão vivendo cada vez mais, e essa tem sido uma realidade global. Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde), em 2025 a população de idosos poderá atingir a marca de 2 bilhões de pessoas. Essa estimativa de aumento na expectativa de vida é impressionante quando comparada aos anos 2000, que haviam apenas 605 milhões de idosos. Ao longo do artigo você vai entender por que ter um plano de saúde para idoso é crucial.

É maravilhoso saber que as pessoas estão vivendo mais, saber que você e seus familiares provavelmente viverão mais e melhor aproveitarão a estadia nesse mundo.

Todavia, infelizmente a perfeição não existe, e nesse caso não é diferente. Com a velhice, consequentemente, surgem alguns problemas que podem afetar o cotidiano e a vida dos idosos. Entre eles podemos citar:

  • Calçadas esburacadas;
  • Descaso de passageiros no transporte público;
  • Problemas de acessibilidade;
  • Dificuldade para conseguir emprego;
  • Acesso a atendimento médico de qualidade;
  • entre outros problemas.

Além dos problemas citados acima, a saúde é o principal deles. Com o avanço da idade, os idosos ficam mais vulneráveis às doenças.

Hoje em dia, o envelhecimento saudável é um dos principais desejos das pessoas, o que apesar de possível, não é uma tarefa simples.

Apenas envelhecer já não é o suficiente, é preciso qualidade de vida e bem-estar. As pessoas esperam mais de sua velhice, querem ser idosos ativos, poder continuar fazendo muitas das atividades que faziam enquanto eram mais jovens.

A saúde pode ser considerada a base do envelhecimento saudável e qualidade de vida. O Estado, através do SUS (Sistema Único de Saúde) tem a responsabilidade de garantir à população o acesso a serviços médicos de qualidade, com intuito de prevenir e tratar doenças. O grande problema é que SUS está muito longe de conseguir cumprir com o esperado.

São diversos os fatores que implicam na dificuldade de receber atendimento médico público de qualidade através do SUS, entre eles: a falta de investimento financeiro na saúde por parte do governo, pequena quantidade de hospitais e UBS’s (Unidade Básica de Saúde), a grande demanda da população por atendimento médico, a falta de equipamentos para realização de exames e tratamentos, etc.

Mesmo cuidando da saúde durante a juventude e vida adulta, é inevitável, ao envelhecer, o corpo vai perdendo a imunidade, o metabolismo desacelera, o que juntamente com outros fatores, faz com que os idosos fiquem mais suscetíveis a desenvolver ou agravar diversos problemas de saúde.

A importância do plano de saúde para idoso

É imprescindível destacarmos que na terceira idade os cuidados com a saúde são extremamente importantes, vitais, o que inviabiliza depender do atendimento médico da rede pública, sujeito a ter que esperar semanas, ou até mesmo meses, para realizar consultas e exames. É nesse momento que os planos de saúde se mostram ótimas opções para quem busca tranquilidade, segurança, qualidade de vida e bem-estar.

Entre os principais diferenciais dos planos de saúde estão:

  • Atendimento a qualquer hora e lugar. O beneficiário conta com um atendimento de emergência ágil e eficiente, também não precisa esperar muito tempo para agendar uma consulta de rotina e ainda conta com uma ampla rede credenciada, o que facilita o atendimento em outros lugares, cidades e até estados (dependendo do plano contratado).

Outro fator importantíssimo é a redução dos gastos com atendimento médico em hospitais e clínicas particulares, o que costuma ser muito caro, principalmente em situações de emergência. Com o plano de saúde, o idoso paga uma mensalidade que lhe é acessível, e após o cumprimento da carência estabelecida no contrato, poderá gozar de todos os benefícios oferecidos pelo seu convênio, e sem custo adicional.