Gestante sem plano de saúde? 3 problemas que poderá enfrentar

gestante e sem plano de saúde 3 problemas que enfrentará

Nos dias de hoje, ter um plano de saúde não é um motivo de ostentação ou de querer exclusividade, se tornou uma real necessidade para a população brasileira, principalmente nas metrópoles, onde o acesso ao atendimento médico público é dificultado devido a grande demanda de pessoas buscando atendimento.

O SUS, Sistema Único de Saúde, que é um dos maiores sistemas públicos de saúde de todo o globo e foi concebido com o grande objetivo de oferecer acesso gratuito a serviços de saúde à população brasileira, já não é suficiente para atender toda essa demanda. Faltam  hospitais; UBS’s (Unidades Básicas de Saúde); equipamentos para exames,  tratamentos, procedimentos cirúrgicos, etc.

Como alternativa aos serviços médicos públicos, prestados pelo SUS, há as seguintes opções: atendimento particular ou via plano de saúde.

O atendimento particular costuma ter custos muito elevados, e por isso, acaba sendo inviável para muitas pessoas, as quais não possuem condições financeiras para arcar com essas despesas.

Para as pessoas que buscam mais segurança e tranquilidade na hora de cuidar da sua saúde (seja através de consultas de rotina ou mesmo a realização de intervenções cirúrgicas), não querem enfrentar as longas filas ou até esperar meses para ser atendido pelo SUS, e ao mesmo tempo querem pagar um valor justo e mais acessível por esse atendimento, a opção mais viável é o plano de saúde, seja ele corporativo ou individual/familiar.

Para as gestantes, ter um plano de saúde é algo imprescindível. Leia abaixo e entenda as razões.

5 problemas que as gestantes podem enfrentar sem um plano de saúde

  1. Atendimento por médicos diferentes

O mais indicado é que todo o pré-natal seja feito pelo mesmo médico, para que este possa acompanhar a gravidez do início ao fim. Dessa forma o médico conhece melhor a gestante, seu quadro, e poderá cuidar melhor de sua gestação.

Infelizmente, no atendimento público do SUS, nem sempre é possível se consultar com o mesmo médico, diferente do plano saúde, que permite a gestante fazer todo o pré-natal com um único médico.

  1. Falta de segurança e estresse

Depender do atendimento médico do SUS passa insegurança para muitas gestantes e é motivo de estresse, pelas dificuldades encontradas para se fazer um bom pré-natal. São visitas frequentes ao médico e diversos exames a serem realizados, que poderiam sofrer atraso devido a demanda que o SUS tem que lidar.

Infelizmente, o excesso de preocupação e estresse são prejudiciais à saúde da gestante e do bebê.

E esse é outro diferencial dos planos de saúde, pois transmitem segurança e tranquilidade para a gestante, que conta com acompanhamento médico durante toda a gestação, não precisando se preocupar com isso.

  1. Falta de cobertura para o bebê

Todos os recém-nascidos gozam do direito de receber atendimento médico gratuito através do SUS, mas ao mesmo tempo, ficam suscetíveis à todas as limitações que o sistema oferece.

Os recém-nascidos, cujas mães possuem plano de saúde com obstetrícia e com períodos de carência cumpridos, têm o benefício de poder utilizar o convênio da mãe durante seus primeiros 30 dias de vida, dentro desse período, a criança pode ser adicionada no plano da mãe como dependente e não precisa cumprir a carência.

Você que está gestante ou se sua mulher está grávida, não hesite em adquirir um plano para proteger essas duas vidas.