Workaholics saúde em questão

Workaholics: saúde em questão

Não há nada melhor que estar em casa relaxando, lendo um jornal, assistindo um filme ou série, curtindo a família e amigos, ou mesmo, viajando, conhecendo novos lugares, não pensando em nada, ou em muitas coisas, mas não em trabalho. Certo? Todavia, algumas pessoas não concordariam com essa afirmativa, estariam dispostas a trocar tudo que foi citado acima para simplesmente voltar ao expediente, estes são os workaholics.

Algumas atitudes como fazer horas extras, levar trabalho para casa, trabalhar durante os dias de folga, entre outras, podem caracterizar um funcionário proativo e exemplar, entretanto, quando se tornam muito frequentes e em excesso, quando a dedicação ao trabalho passa a ser mais importante que o descanso, lazer e o relacionamento com outras pessoas (família e amigos), é notório que algo está completamente errado e precisa de atenção.

Definição de Workaholic:

Workaholic é uma palavra em inglês que significa viciado em trabalho, ou seja, uma pessoa que trabalha de forma compulsiva e por longos períodos, alguém que é extremamente dependente do trabalho.

A pessoa workaholic não consegue se desligar do trabalho, mesmo quando estão fora da empresa, em folgas, feriados e até mesmo durante as férias. O indivíduo muitas vezes deixa de lado sua vida pessoal para focar no trabalho, e quando está interagindo com outras pessoas (família, amigos, etc.), geralmente fala sobre trabalho, checam seus e-mails constantemente, e não parece aproveitar os momentos de lazer, fora do ambiente de trabalho.

Para os workaholics, seu principal medo é do fracasso, medo este que é responsável por motivá-los a continuar se esforçando ao máximo, de forma excessiva, para atingir melhores resultados. Apesar de este ser um assunto ainda pouco explorado, o número de pessoas que podem ser consideradas workaholics tem crescido exponencialmente ao redor do globo.

Workaholic x Worklover:

Ambas as palavras se referem a dois comportamentos completamente distintos, no que se refere a trabalho. O workaholic é viciado em trabalho (apesar de em alguns casos nem gostar do que faz), não consegue relaxar, se divertir e tem dificuldades para se relacionar. Já o worklover ama seu trabalho, e apesar de às vezes trabalhar muito, não negligencia o descanso, sabe a hora de parar, consegue se desligar do trabalho e dedicar tempo para outras atividades de lazer (praticar esportes, sair, dormir, etc.).

Problemas de ser um workaholic:

Os workaholics estão sujeitos a diversos problemas de saúde em curto, médio e longo prazo. Entre os principais problemas destacam-se os distúrbios psiquiátricos, como: estresse, ansiedade, depressão e TOC (transtorno obsessivo compulsivo). As pessoas apresentam grandes chances de desenvolver problemas cardíacos e outros problemas como: hipertensão, diabetes, doenças gastrointestinais, insônia, dores no corpo, tensão muscular, disfunções sexuais, entre outros.

O workaholismo, em seu estágio mais grave, pode levar o indivíduo à morte, pois devido ao excesso de trabalho, estresse, e pouco descanso (físico e mental), o organismo sobrecarregado entra em falência.

Conclusão:

Diferentemente do que muitos pensam ser um workaholic é sinônimo de competência e comprometimento ou de ser um excelente profissional, na verdade é um problema que precisa ser encarado com atenção. Viver exclusivamente para o trabalho é algo perigoso para a saúde física, mental e emocional.

É imprescindível se organizar e respeitar os horários para trabalho, descanso, lazer, praticar atividades físicas, interagir com outras pessoas, etc.

Cabe também às empresas fomentar a mudança de hábito dos colaboradores, lhes mostrando que quem trabalha de forma equilibrada produz mais e melhor que os workaholics. Com isso, as empresas ajudarão a preservar a saúde de seus funcionários, reduzindo os problemas de saúde e consequentemente reduzir a taxa de absenteísmo, afastamentos e rotatividade de pessoal.